Um reformado gasta mensalmente: (Poll Closed)

 
 
 
 
 
 
464 Total Votes
6 Comments

  • Maria Cabral - 9 years ago

    Discordo com o AMG, na sua opiniao relativamente a funcionarios piblicos...
    Os que fala, são os de topo, os que vêem nas rvistas e nos jornais.Por conhecimento de causa, sei que os milhares de funcionarios publicos, que com 30 anos de serviço, no topo da carreira auferem um rendimento máximo de 685 euros, e aquando da reforma passou a receber 520 euros...Estes funcionarios publicos, adoecem, comem, bebem e têm despesas com a saude na mesma proporção que os privados...Os seus descontos foram os legalmente estipulados e as regalias que tanto se houve falar, nao passa de um mito...

  • Carvalho Ferreira - 9 years ago

    Considerando o gasto médio por pessoa do agregado familiar, antes e depois de reformado(s) , somos os 2, a despesa, infelizmente, tem aumentado por motivos de medicamentos e/ou exames/consultas. A ausência de trabalho para um descendente com mestrado (há procura desde 2010) também veio ter peso nas gastos, neste caso, como ajudas. Mas de modo geral, as despesas aumentaram um pouco sim :(

  • AMP - 9 years ago

    Subscrevo integralmente o que foi escrito pelo participante AMG, dado as nossa realidades serem praticamente iguais. Só há um comentário que gostaria de acrescentar no que toca ao não pagamento dos SF e SN. A fórmula encontrada pelo doverno é de uma enorme injustiça pois não tiverem em conta situações como a minha e que devem ser muitas infelizmente. Senão vajamos!... tenho 63 anos, sou divorciada, tenho uma filha a meu cargo, todas as despesas que toda a gente tem incluino um empréstimo/habitação, ou seja suporto sózinha os encargos que habitualmente são da responsabilidade de dois titulares, que auferem dois rendimentos que fácilmente chegam ao valor da minha reforma que é de 1 047€. Isto para finalizar que eu não vou recebar praticamente nada no que toca aos dois subsídios mas um casal que receba o mesmo valor não é afectado por aquela medida. Para quem faz a gestão de uma casa, sabe que cozinhar para um ou dois é básicamente a mesma coisa e o mesmo se aplica a quase todas as outas despesas. E nem vou falar nos casais que tambám são muitos em que o rendimento que entra em casa é bem considerável mas que só um deles é que está legalizado, portanto beneficiam de tudo e mais alguma coisa. O governo tem se estar mais atento a quem vende cabras mas não tem cabritos... Obrigada pela oportunidade que me foi dada, valeu pelo desabafo!

  • Sabina Oliveira Muge - 9 years ago

    Eu penso que está no mercado de trabalho e sendo uma pessoa equilibrada poupando um pouco por mês, conseguindo amealhar algum dinheiro para alguma despesa extra, será o ideal.
    Muito importante não se hipotecar há Banca, ainda melhor!
    Sendo assim no caso de passar á situação de reforma, pouco no vestuário, na alimentação e juntando o valor da reforma aos dividendos das suas poupanças efetuados enquanto estava no ativo, decerto que será uma pessoa com uma média qualidade de vida.
    Isto apesar de que o que é hoje amanhã já é diferente devido a toda a incerteza que reina neste momento em todo o Mundo.
    Enquanto não ficar doente e poder desfrutar um pouco da vida é o que faz melhor.

  • AMG - 9 years ago

    Se por um lado as despesas com vestuário e apresentação de uma maneira geral (menos idas ao barbeiro, menos compras de fatos, de sapatos e de calças, pulovers, polos, etc) diminuíram talvez uns 40% (cálculo de cerca de € 120/mensais) outras houve como:

    - Despesas de aquisição de automóvel - antes fornecido pela empresa mesmo para uso particular
    - Despesas com manutenção automóvel - dantes fornecido pela empresa
    - Despesas com alimentação - dantes fornecida pela empresa ao almoço
    - Despesas com gasolina,reparações, impostos de veículo,inspecções obrigatórias,etc.
    - Apropriação pelo Estado de parte do subsídio de férias e de Natal
    - Inflacção anual de pelo menos 3/4%
    - Corte nos aumentos de pensão, desde há vários anos sendo actualmente aumento "O"
    - Aumento de custos de impostos como IVA,IRS,IMI,apropriação crescente de descontos na pensão
    - Aumento brutal de taxas moderadoras

    tudo somado deve ser atingido um total de cerca de 600/700€ mensais pelo que a perda se poderá cifrar num total de mais de 500/600€ por mês. Isto para um funcionário de uma empresa privada que nos 46 anos de trabalho contribuiu mensalmente com 11,5% da sua remuneração e 23,5% sobre a remuneração suportada pela entidade patronal para o Estado, num total de pelo menos 35% do total do ordenado, enquanto um funcionário público, com uma remuneração similar contribuía para o Estado com uma ninharia. Mesmo assim, para o primeiro no cálculo da reforma foram considerados a média dos últimos melhores 10 anos de trabalho e sobre isso recebe 80% do seu valor(com uma penalização de 0,5%), enquanto que o segundo recebe a sua pensão a 100% do ultimo ordenado e no máximo só trabalharia 30 anos contra os 46 do caso analizado . Por outro lado o empregado privado, se não fosse eficiente poderia ser despedido na hora enquanto que o funcionário público podia ser incompetente, prepotente, incapaz e continuaria com o seu posto de trabalho assegurado "ad eternum". Parece que é isto que se chama oportunidades iguais de cariz socialista!

  • Luís Ricardo - 9 years ago

    A razão principal de um reformado gastar mais mensalmente do que quando trabalhava, prende-se essencialmente com a saúde.
    Um jovem poderá gastar anualmente, em média, 50,00/100,00 euros. Um idoso gastará essa mesma importância, talvez entre duas a três semanas.
    Um reformado tem mais tempo disponível que um trabalhador ativo, logo, esta diferença temporal propiciará a sua ocupação em atividades que poderão, infelizmente, implicar custos.

Leave a Comment

0/4000 chars


Submit Comment

Create your own.

Opinions! We all have them. Find out what people really think with polls and surveys from Crowdsignal.